Follow by Email

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Ministério preto adverte ...

As suas palavras bem ditas
Não fazem efeito
As suas colocações politicamente-corretas
Não fazem o meu estilo

Porque o político nunca é correto
E o correto nunca é o político
E o meu ritmo segue a reta das lutas pretas
Da preta gente que me cerca, entendeu colega?

Sua história não me reconhece
Ainda que meu povo seja o alicerce
Desse país inerte em gente covarde
O ministério preto adverte

Levante-se, movimente-se, inspire-se
Deixe de ver a tve vá ler
O que vai te preeencher de saber

Saber de onde você vem
O que tem , muito além
Do que te falaram, sopravam
alienaram

Evolua parceiros e una-se
Aos seus , não por rebeldia sem causa
Mas pela causa respaldada na rebeldia
de quem um dia lutou por você
sem nem saber que você ia nascer.

Deveres nós tem e direitos você sabe que tem?
Então não mosque na vibe do brother
da esquina que por falta de expectativa divide a rotina da cocaína

Se insira na viajem dos bons de verdade
que sabem que a verdade é relativa
Quando você não se limita e agita
quem precisa de insulina cultural,
Pra mover a roda que gira pra fazer a nossa vez!

A sua palavras bem ditas
Não fazem efeito
Bem ditas agora é o meu conceito de preto!

Janaína Bonfim.

Eu sigo

Ainda estasiada com as dozes de realidade
na qual acordo e amanheço,
Me deparo sem entender o que faço?
Alguns grandes iriam responder : Aja!
Outros pequenos me aconselhariam: Cale-se

E eu nesse tormento resolve : Falo!

Falo ainda que não tenha pra quem falar
Falo ainda que minha voz não alcance você
Falo ainda que me falte a voz.

Ainda que pareça confortada com que tenho
Ainda acorrentada ao que dizem
grito, pra que você saiba que não é conforto
é circunstancia
Não é corrente é ignorância.

E então nessa ciranda incoerente
me firmo,com meus opostos em briga
com a vitória na reta
Querendo encontrar a métrica correta pra
minha situação incerta.

E após esse relato alguns grandes vão me dizer : Aja!
Outros pequenos aconselhar: Para!

E eu? Sou o que acredito, então
Farei o seguinte darei ouvidos aos meus princípios e vou seguindo
escrevendo.

Sem pressa, nadando com os instintos mais íntimos !
Eu sigo !

Janaína Bonfim.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Petter Pan

Eu tenho medo da vida
Tenho medo de apanhar não
saber revidar
Toda essa marra é tudo máscara

Mas não me julgue mal
Ninguém quer ser fraco ou ser mais um
Então resolve ser assim

Nas noite em que estou só
Para não perceber que sou só
Me entorpecer é a saída mais fácil

E então no outro dia me arrependo do que fiz
mesmo assim continuo a fazer
Não quero crescer

Tenho medo dos adultos
Cheios de regras e responsabilidades
Presos em suas vidas, ora felizes
ora depressivos, mudando de idade

Eu não, prefiro ser inconsequente
Poderoso perante os meus iguais
E chocante para os que não entendem
O barato que é demais

Aqui entre nós, tenho medo da vida
Medo da vida que anda
E me deixa pra trás
Pode me chamar de Petter Pan eu não ligo mais !

Na minha terra do nunca
Nunca fico só,nunca sinto dor
nem vazio, nunca crescer, nunca penso em você
Pena que tudo acaba com o amanhecer...


Janaína Bonfim.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sua Presença


 Ainda Bem - Vanessa da Mata


Quando estou perto de você sinto-me invadida 
Invadida de bons sentimentos 
Arrastada pro abismo em que minha alma declina sem medo
Enfim entrego-me ... 

Quando estou sem você sou apenas eu 
sozinha , sem colo e sem magia 
Sou apenas eu ... sem você 

Quando volto pros seus braços sinto-me tomada 
de maneira devassa e bandida 
Sinto-me cheia de luz e de poesia 

Você é a inpiração meis pura e bonita 
você consegue extrair das minhas entranhas 
aquele amor devastado por outros e me faz acreditar 
na semente que você plantou em solo sofrido 

Sem você nem sei mais imaginar
Sem você ... não há !

Janaína Bonfim